-

domingo, 18 de abril de 2010




   Hoje acordei lembrando-me do que passou. Das alegrias, amores, sonhos. O único ponto em comum de tudo é a brevidade das coisas. Sempre que nos apegamos a algo renova-se a esperança de “pra sempre” e esquecemos que tudo sempre se encerra, como o sol que se põe ao fim de cada dia, e depois chega a noite com toda a saudade. E nada nos resta a fazer a não ser esperar novamente a luz do dia , para chorar depois à escuridão da noite. E vamos vivendo assim até que aprendemos que a eternidade das coisas consiste nas emoções e marcas que elas deixam, na alegria que transborda, e na força que nos preenche ao recordarmos de todas as experiências vivenciadas. 

3 comentários:

larissa disse...

owwwwwwwwwwwwwwwn q lindo minha escritora *-* te amo amiga ♥

sara kellyne. *-* disse...

minha fã nº 1 *-* te amo demaaaaaais amiga. ♥

day ferreira,! ;* disse...

vs é vs, vamos combinar,! >.<'
amiga vai la no meu blog tb! *-*'
amei, amei dms seus texto! ♥