Não posso evitar.

quinta-feira, 8 de julho de 2010



  Hoje passei em frente aquela praça que costumávamos frequentar, e que foi palco da nossa felicidade. Lembrei dos momentos que juntos passamos, dos carinhos que trocamos. Olhei pro banco, aquele onde sempre sentávamos, mas hoje, em nosso lugar, estava outro casal. Como estavam felizes... Como, também, fomos felizes!
  Mas tudo isso foi antes ...
  Antes de um terremoto assolar nosso amor. Antes dele vir, com toda a sua fúria, e resumir nosso sentimento à restos de uma construção, reduzir à pó. Antes da de-vas-ta-ção!
  Ainda estou aqui, em meio aos escombros, tentando achar alguma forma de salvar esse sentimento. Minha força vem de dentro desse meu coração, que insiste em pulsar por você, e me dizer que ainda há esperança. Encontra-se, recolhido entre minhas mãos, o pó que estava no chão, mas 
                                           
                              ele        es
                                               tá    in
                                                  do
                                                   e
                                                  m
                                                  b
                                                  o
                                                  r
                                                 a.

                     

  Desculpe, mas NÃO POSSO evitar que o vento o leve, não tenho a mínima condição de reter o que restou desse sentimento sozinha.

2 comentários:

Moni. disse...

É impressionante como a gente consegue encontrar beleza na dor... Ao menos para quem lê, está do lado de fora...

Linda tuas palavras, menina linda minha... Que felicidade te ver assim, transformando em palavras - as mais bonitas - os sentimentos que pulsam na alma...

Orgulha-me!!!


Beijos da sempre tia Moni

sara kellyne. *-* disse...

Tudo o que pulsa dentro de mim, o que sinto, e o que também não sinto, logo é posto para fora em forma de palavras, é INEVITÁVEL!
É na dor, ou até no fingimento dela, onde surgem as palavras mais belas!
Ainda vou lhe orgulhar muito!
Milhares de beijos...
E obrigada por me fazer chorar com esse comentário! :D